Contacte-nos através do nosso email:
cethomar@hotmail.com

4/29/2011

DO LIBRO DE LA YNCLITA CAVALLERIA DE CRISTO

De Fray Hieronymo Roman
Autoria: CETHOMAR | CETARQUIVO


 1. DO CETARQUIVO

O Cethomar como centro de estudos acerca de Tomar e do seu património edificado e cultural, tem como instrumento de trabalho, entre outros, um arquivo particular com mais de um milhar de obras sobre temas relacionados.
S
Apesar de ser um arquivo de índole particular, pelo facto de ser um acervo na sua maioria em formato digital, irá mais tarde, permitir ao público em geral, aceder ao mesmo e requisitar obras que necessite no âmbito das suas pesquisas. Alias, têm sido vários os pedidos da parte de investigadores, nomeadamente do IPT, e que têm ficado surpreendidos com a quantidade de material que conseguimos disponibilizar.

O autor destas linhas é um exemplo vivo disso, visto as requisições feitas pelo mesmo ao responsável pelo Cetarquivo raramente serem infortuitas, mesmo quando este julga ser impossível encontrar determinada obra, tendo sido caso disso as obras dedicadas a Gualdim Paes, de Silva Viana e de Virgínia de Castro e Almeida, que por serem obras raras, foram em Março reeditadas pelo Turismo de Tomar em edição fac-smile. A existência das suas primeiras edições no Cetarquivo, permitiu enriquecer bastante o último capítulo da Marca de Gualdim Paes, precisamente a ele dedicado.


Duas biografias de Gualdim Paes dos anos 1895 e 1944 respectivamente
(a de 1895 do Viana surge no âmbito das comemorações dos 700 anos)

É de salientar que o acervo é constituído na sua maioria por obras anteriores à segunda metade do século XX, e não se confina à língua portuguesa.

2. DE FREI JERÓNIMO ROMAN E SUA OBRA

Umas das obras que tem sido estudada e consultada pelos participantes no círculo de estudos do Cethomar é um dos livros de Frei Jerónimo Roman do séc. XVI (constituído por três livros) que, em Portugal não tem um único exemplar completo. Os próprios ilustres que participaram na UAMOC, apenas conheceram alguns fragmentos da obra, e aproveitando-os, deram a conhecer algumas partes dos mesmos.


A edição da designada "Colecção Pombalina", adquirida a descendentes do Marquês de Pombal, e hoje na Biblioteca Nacional, tem início na página 51, dizendo-nos os Anais da UAMOC que “a parte existente começa no final do capitulo 21. Os capítulos que faltam tratavam muito provavelmente da Ordem do Templo e da instituição da Ordem de Cristo”. De facto assim é, e sendo essa parte da qual essa edição está carenciada, a relativa à Ordem do Templo, especula-se que tenha sido deliberadamente extraída, destruída ou ocultada, numa tentativa de obstrução às verdades que deviam permanecer apagadas da memória da história.

Não se exclui essa hipótese, ou eventualmente o interesse de algum arrojado leitor que quis ler comodamente em casa esses vinte e um capítulos na ânsia de encontrar respostas ou tesouros lendários que já deviam povoar a imaginação de muitos.

Contudo, em Portugal existem mais edições e apesar de não estarem completas, contemplam esses capítulos iniciais, exemplo disso é a do Arquivo de Tarouca, adquirida pela biblioteca nacional em 1971, pelo que os Anais não lhe podem fazer qualquer referência nos inícios dos séc. XX.

De todas as versões conhecidas, a que se encontra em Madrid é a que melhor se apresenta organizada e completa, não obstante parecer não ter sido publicada, visto faltar-lhe as licenças que as de Portugal apresentam. Tem esta versão alguns fólios com imagens, não tendo acontecido o mesmo com a versão da Livraria de Tarouca, apesar de terem sido deixados em branco os espaços para integrar as ditas imagens. Visto a versão Madrilena só estar catalogada a partir de 1958, também os colaboradores dos Anais da UAMOC não podiam ter acesso à mesma.

A obra de Frei Jerónimo Roman é de valioso interesse para o conhecimento da Ordem do Templo em Portugal e da Ordem de Cristo, tendo sido amplamente explorada por Vieira Guimarães, Gracez Teixeira e outros que constituíam a UAMOC, todavia apenas as partes que eram conhecidas pelos mesmos. A par de Pedro Álvares de Seco, ao qual daremos destaque em futuros posts, Frei Roman apresenta-se como alguém que conheceu de perto muitos dos documentos existentes no Convento de Cristo, que entretanto desapareceram, aproveitando-se desses para nos dar muitas informações, queixando-se no entanto, por vezes, da falta de muita informação disponível. Podiam já não existir muitos documentos no Convento que relatassem histórias antigas, mas o facto da sua obra ser de data tão recuada e este ter convivido com os Freires da Ordem de Cristo, muitas eram ainda as memórias possíveis de registo.


As descrições do Convento e da Charola são preciosas, dado serem escassas noutras obras, excepção faça-se a Pedro Álvares de Seco, tendo sido algumas publicadas nos Anais, todavia em espanhol antigo, o que torna o texto de muito difícil leitura. Foi precisamente no âmbito do nosso trabalho de tradução desses textos dados a conhecer nos Anais que conseguimos uma versão actualizada e para nosso espanto, o livro completo.

Iremos então a partir de agora dedicar vários posts aos dois primeiros livros da “História da Ínclita Cavalaria de Cristo na Coroa de Portugal”, uma espécie de edição anotada (ou critica) de algumas passagens que consideramos autênticos tesouros para quem se interessa pelas duas Ordens Militares citadas, com mais incidência, obviamente, sobre aspectos relacionados com a cidade de Tomar.


Excerto do “Capítulo 25 - Da Sacristia, relíquias e coisas preciosas que existem no convento de Tomar”
(Traduzido)

Detalhes como os acima extratados; procissões com a mão de São Gregório, segundo consta trazida da terra santa por Gualdim, relíquias de São Sebastião e uma pedra com o sangue da venerada Santa Iria, são exemplos claros de quão preciosas informações se conservam nesta obra. É certo que muitos capítulos repetem notícias já amplamente divulgadas por outras crónicas e manuscritos já hoje conhecidas, mas não deixa de ser mais um documento a reforçar o material histórico existente. Aliás, Augusto Cardoso Pinto, em 1932, produz uma obra de título “Frei Jerónimo Román e os seus inéditos sobre a história portuguesa” onde se debruça precisamente sobre informações que considerava inéditas na historiografia existente nos documentos dos arquivos portugueses.


Oportunamente contamos dar mais informações sobre o homem e a sua obra, ficando desde já aqui, a nossa disponibilidade para enviar aos interessados em ter já a obra completa, visto estar disponível, a própria obra e mais uns quantos livros relacionados com tema, assim como excertos críticos dos anais, bastando para isso enviar o pedido para o nosso email do cethomar.

(disponível em pdf - pedir por email)


4/15/2011

NOVA PUBLICAÇÃO

NOVOS SUBSÍDIOS SÃO CRISTÓVÃO
Análise Critica da pintura mural


Foi publicada a IV parte do post
Ver no final do texto a parte 4. Da Iconografia

4/07/2011

CANAL CETHOMAR

Autoria: CETHOMAR

Decidimos inaugurar o canal do CETHOMAR no youtube com este pequeno vídeo inédito sobre os míticos túneis de Tomar, aproveitando o momento para prestar homenagem ao J.M. de Sousa, sobejamente conhecido pela autoria do livro "Noticia descriptiva e histórica da cidade de Thomar" de 1903, e onde num trecho o autor nos descreve um episódio relacionado com os subterrâneos que tem inflamado muitas imaginações. Pedimos para que estejam atentos ao canal visto estarmos em fase de criação e carregamento de filmes.


Canal

4/04/2011

TEMPLÁRIOS PORTUGUESES

Autoria: CTP | Etálides Produções

O curto filme que agora apresentamos reflecte ideias, predominantemente Portuguesas, quanto à saga da Ordem dos Templários e a sua continuação no espírito da Ordem de Cristo criada logo após a sua extinção, culminando na epopeia dos descobrimentos. Criado pela Etálides Produções, presença assídua nas nossas confraternizações, destinou-se a fazer a abertura da conferência “Memória e Espiritualidade da Ordem dos Templários em Sintra e Colares” organizada pela CTP - Comunidade Teúrgica Portuguesa no dia 26 de Março. É com muito prazer que vos damos a conhecer este filme, visto muitos dos nossos leitores, eventualmente, estarem de acordo com a mensagem expressa. Aconselha-se a ouvir com o volume no máximo e a aumentar o ecrã de forma a ler as legendas.

video

(podem os interessados em ver a conferencia na integra obter link nos comentários)